gran bazar

A Istambul que não se vê em Salve Jorge – Compras

Shopping a Istanbul (by Dani)
Istanbul a prima vista (…e anche a una seconda) è una metropoli veramente incasinata! La grande quantità di macchine che circolano per il centro ti fa perdere molto tempo negli spostamenti da una parte all’altra della città, quindi secondo me é meglio prenotare un albergo nella zona di Aya Sofia, perchè le principali attrazioni sono tutte vicino a questo museo.

I mezzi di trasporto sono un pò complessi, ci sono 2 linee della metropolitana che non si incrociano e c’è una funicolare per salire nella zona più movimentata con i locali serali, oltre che il tram ovviamente. Ogni volta che si prende un mezzo, bisogna pagare il ticket di 3,00 lire turche. Il taxi sarebbe il mezzo più veloce ed economico, se non fosse per il fatto che a volte i taxisti non conoscono alcune vie e spesso cercano di fregare i turisti, facendoti pagare più del dovuto (quindi prima di salire su un taxi, fate leggere al tassista l’indirizzo di destinazione, accertandovi che lo conosca!!!). Dimenticatevi dell’inglese perchè non lo conoscono😦

Detto questo… per quanto riguarda i negozi ce ne sono dovunque e per tutte le tasche! Negozi con prezzi e qualità simili ad H&M, vari Zara e i negozi di Lusso, nella parte asiatica della città. Tutte le zone sono piene di vie con piccoli negozi, che vendono di tutto, dai vestiti ai tessuti, le sciarpe, le borse, i giochi, etc. Una donna già pazza per lo shopping lo diventa ancora di più🙂

Però fate attenzione! I negozi tradizionali hanno il cartellino con il prezzo, ma i mercatini no. Li non si vede nessun prezzo e a loro piace “negoziare”! Partono da un prezzo molto alto e bisogna cercare di abbassarglielo. Il problema è che se si è in dubbio sull’acquisto di un oggetto, loro pensano che sia una tattica per farli scendere di prezzo e se non si compra se la prendono. Mi è sucesso per l’acquisto di un bracciale, il venditore è sceso da 70 a 30 lire, ma io non ero convinta di volerlo davvero comperare…così alla fine quando ho rifiutato lui mi ha gridato in faccia! Devo dire che i turchi non sono molto gentili…
Il Grand Bazaar è il loro mercato più importante e si capisce subito, li tutto costa di più, forse perché vogliono “negoziare”, ma dopo la prima esperienza ho preferito fare solo un piccolo giro. In realtà, vendono oggetti che si trovano anche in altri negozi, quindi vale la pena andarci soltanto per conoscere l’ambientazione che è molto bella!! Inoltre si possono fare un sacco di foto senza essere disturbati.

Se volete fare shopping in un mercato, scegliete lo Spice Market, i prezzi sono onesti, messi sempre in evidenza e si può sempre chiedere lo sconto.

Un’altra cosa strana é la quantità di negozi che vendono borse e accessori di marchi di lusso, senza nessun problema. Si possono trovare Prada, Armani, Gucci, Yves Saint Lauren, e qualsiasi altro marchio importante. Sinceramente non so dire se sono originali o no, peró ho qualche dubbio visto che l’unica borsa per cui ho chiesto il prezzo, costava 550 lire (un borsone Yves Saint Lauren) … sappiamo benissimo che non costerebbe mai meno di 250 euro!

Si avete pazienza e voglia di trattare sui prezzi sicuramente Istanbul é una città per fare buon affari!

Versão em português:

Verdade seja dita, o destino Istambul foi influenciado pela novela da Rede Globo, Salve Jorge. Depois de tanto ouvir falar em raki, allah allah e ver as imagens belíssimas da novela do horário nobre da emissora carioca, escolhemos a cidade turca como destino de feriado de Páscoa. E nada mais justo, do que contar aquilo que não se vê na obra de Glória Perez. Para começar “eta cidade caótica”, e quem vos fala isso é uma fluminense (nascida no estado do Rio de Janeiro), que viveu bem 10 anos na cidade maravilhosa. O que quer dizer que se eu achei o trânsito horrível, pessoas acostumadas com cidades mais organizadas vão ficar de cabelos em pé. Pensei que fosse à primeira vista, mas não é, é mesmo um vai e vem de gente (que atravessa a rua com o sinal de trânsito fechado) e de carro, um engarrafamento monstro, que tira  o bom humor até de um turista.

Ainda falando de trânsito, parte importante para nós turistas, porque precisamos nos locomover, o metrô da cidade pode não ser a melhor opção, porque são apenas duas linhas, que não estão ligadas entre si. Além disso, Istambul é servida de trem, “funicular” (para chegar na parte alta da cidade, onde se concentram muitos bares e restaurantes) e os barcos, que nos levam para parte asiática e o táxi, que tem um ótimo preço. Porém, atenção, antes de entrar num táxi, mostre o endereço para o motorista (ande sempre com ele escrito num papel e nem perca o seu tempo tentando falar inglês) e se ele fizer sinal para você entrar, entre no carro e confira se ele ligou o taximetro. Nesse ponto, alguns deles são bem parecidos com os cariocas, querem te fazer pagar mais do que é a corrida. O ideal mesmo é procurar um hotel na zona onde fica a Aya Sofia, onde estão os principais pontos turísticos e ponto mais fácil de se locomover.

Agora vamos ao que interessa, compras em Istambul … é tanta loja, lojinha e barraquinha, em cada rua, em cada ângulo, que pode levar qualquer mulher a falência. Porém, existe 2 detalhes importantes: a primeira coisa, em qualquer bazar você dificilmente vai encontrar o preço das coisas, terá que perguntar, e o vendedor irá dar um preço muito mais alto, cabe ao cliente negociar e baixar o preço (já tinha lido isso em outro blog e vivi pessoalmente). A coisa chata dessa brincadeira (detesto pedir desconto) é que mesmo que você diga que não quer porque realmente não tem certeza, corre o risco de ser mal interpretada (como aconteceu comigo) e o senhor gritar irritado, praticamente te expulsando da loja. Foi assim comigo, vi um bracelete e gostei, mas não tinha certeza, foi a primeira barraca que parei. O dono me deu o preço de 70 liras turcas, disse que pensava, e ele foi diminuindo preço até 30, cada vez que eu dizia, sem graça, que não tinha certeza. Até que ele ficou irritado e gritou sei lá o que comigo. Depois dessa experiência não tive mais coragem de perguntar preço de nada. Para evitar isso é melhor ir nas lojas, que basicamente tem tudo que tem nos chamados Bazar. Falando nisso, na minha opinião o Grand Bazar é somente para conhecer, o lugar é lindo e vale a pena, mas os preços são muito altos. Para compras, prefira o Spice Market, bons preços e o melhor, tanta coisa com o valor aparente e mesmo assim, ainda dá para pedir desconto e levar.

Se você é fã de lojas como H&M vai fazer a festa em Istambul, vi várias lojas parecidas em relação a preço e qualidade. E na parte asiática, ainda é possível fazer compras em lojas de grife famosas. Uma coisa que me chamou bastante atenção, foram as pequenas lojinhas, inclusive dentro do Grand Bazar que vendem produtos de marca, como Armani, Gucci, entre outras. Perguntei o preço de uma única bolsa, Yves Saint Laurent, linda e enorme, e o vendedor disse que custava 550 liras turcas, o que seria menos de 250 euros, e esse não é o preço de uma bolsa dessa de jeito nenhum, o que me faz pensar que são falsificações, mas vendidas livremente.

gran bazar4gran bazar3gran bazar2gran bazar1gran bar10

gran bazar5 gran bazar6 gran bazar8 gran bazar9

Lascia un commento

Inserisci i tuoi dati qui sotto o clicca su un'icona per effettuare l'accesso:

Logo WordPress.com

Stai commentando usando il tuo account WordPress.com. Chiudi sessione / Modifica )

Foto Twitter

Stai commentando usando il tuo account Twitter. Chiudi sessione / Modifica )

Foto di Facebook

Stai commentando usando il tuo account Facebook. Chiudi sessione / Modifica )

Google+ photo

Stai commentando usando il tuo account Google+. Chiudi sessione / Modifica )

Connessione a %s...